Velhos amargados

Hoje foi um daqueles dias estranhos - amanheceu chovendo, vesti uma roupa que não combinava com nada nem com ninguém, pedalei pro hospital, fui xingada no trem, fiquei com raiva, retruquei, chorei...

 

Apesar de eu acordar prum dia escuro, feio, e molhado- decidi que ia começar meu dia bem. Fui pra aula de yoga - alonguei tudo - inspirei coisas boas, expirei  as ruins, e alonguei tudo que tava duro e tenso. Saí da aula de yoga mais leve e pronta pra ter um dia maravilhoso. Fui até o hospital buscar minha amiga, dirigi sem medo com ela até Breda... e até aí tudo bem...

 

...até que, quando peguei o trem pra voltar pra Tilburg, liguei pra minha mãe. Aqui na Holanda, em alguns vagões do trem, é preciso manter-se em silêncio. Como eu estava no telefone, fui pra um vagão onde eu pudesse falar. 

 

 

Não tinha dado 30 segundos que eu tava falando com a minha mãe, que um véio (acompanhado de sua esposa) enfiou a cara no vão entre os assentos a minha frente e começou a me encarar. Parei de conversar com a minha mãe e perguntei pra ele: "Sim?" O véio teve a pachorra de me responder: "Sim, to olhando pra você - você é irritante." Comecei a ferver....falei pra minha mãe que eu precisava de alguns segundos para me recompor depois de ter ouvido essa grosseria. Inspirei...expirei...e decidi que um pouco antes de chegar a minha estação eu ia falar alguma coisa pra esse lixo de pessoa. Vi que o trem estava chegando em Tilburg e me aproximei do casal. Eu disse "Com licença, acho que um pouco de educação ao falar com as pessoas não custa nada." O véio tentou me ignorar, mas eu não deixei - fiz questão de que ele me ouvisse. Olha senhor e senhora, percebi que eu talvez estivesse falando alto no telefone, e baixei minha voz. Contudo, acho que seria bom você tentar falar com os outros com respeito. Em vez de me encarar agressivamente e desrespeitar, você poderia simplesmente ter pedido pra eu baixar minha voz." O véio me encarou de novo e disse que não ia me pedir desculpa, e me mandou ficar quieta, porque eu tava irritando o trem inteiro coma minha voz." Mas eu quis ter a ultima palavra e disse "Espero que isso pelo menos sirva como uma lição e você possa falar com a próxima pessoa com mais respeito." E ele resmungou alguma coisa enquanto eu saí do trem.

 

Sinceramente, acho que o velho não aprendeu lição nenhuma - mas com certeza a esposa dele sentiu vergonha do comportamento dele. Entendo que eu provavelmente estivesse falando alto (apesar da minha voz ser um canto suave angelical).

 

 

Mas isso não é um pretexto para me faltar ao respeito. Eu fiz questão de levantar minha voz hoje porque não é a primeira vez que isso acontece comigo e nem com outros estrangeiros que eu conheço aqui na Holanda. Ser velho não é pretexto para ser grosso. Acho que todos nós temos momentos em que ficamos nervosos, irritados, e como consequência acabamos sendo rudes (alguns mais frequentemente que outros). Todos erramos de vez em quando (ou de vez em muito)- o importante é saber reconhecer isso e lutar para mudar para que não nos tornemos velhos rabugentos e amargados. 

 

 

 

 

Please reload

Featured Posts

To all the strong-willed girls

November 15, 2018

1/1
Please reload

Recent Posts

July 12, 2019

November 22, 2018

November 22, 2018

November 21, 2018

November 13, 2018

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

©2018 by Passeios Mentais. Proudly created with Wix.com